Ginásio novo, série nova: Marcelo Martins fala sobre planos para 2021

19.10.2020  |    114 visualizações

Um de nossos craques da Ginástica Aeróbica capricha nos treinos físicos, de olho no Mundial

Da Redação, São Paulo (SP) - A comunidade que gira em torno do projeto de Ginástica Aeróbica da Universidade Federal de Lavras (MG) já disparou a contagem regressiva. Em janeiro, com toda a certeza, as mais de duzentas pessoas envolvidas vão voltar às atividades, e no novo Centro de Treinamento, que está por ser inaugurado. Mas existe uma possibilidade de que esse retorno seja antecipado para a segunda quinzena de novembro, a depender de aprovação da comissão interna de enfrentamento ao covid-19 da UFLA.

Faz parte dessa comunidade, que envolve mais de 200 pessoas, o talentoso Marcelo Martins, ginasta que tem no currículo títulos nacionais, sul-americanos e pan-americanos.

Marcelo elogiou bastante a ação da CBG, que tomou a iniciativa de montar treinamentos que foram seguidos por meio de plataformas de compartilhamento de imagens e sons da internet. “Aquelas ações foram muito legais”, afirma o experiente atleta.

Ele está seguindo uma rotina de treinamentos físicos elaborada por um professor da UFLA, e complementa a preparação com sessões planejadas por ele mesmo, uma vez que é formado em Educação Física. “Tenho halteres e anilhas em casa e assim faço o meu treino”, diz o atleta, que segue também as orientações da professora de ballet Adrielle Lopes.

Marcelo já tem algumas coreografias prontas, mas tem trabalhado na criação de outras. “A música da minha coreografia individual ficou pronta. Foi criada pelo Ivan Ferreira”, diz o atleta, referindo-se ao produtor e fotógrafo que assina os trabalhos com a marca MeloGym – ele costuma registrar eventos da Federação Internacional de Ginástica com sua câmera. A montagem da coreografia está a cargo do espanhol Sergio Garcia, que é árbitro internacional.

Enquanto esses trabalhos são desenvolvidos, Luiz Maciel, professor da Federal da Lavras e treinador de Marcelo, explica que a retomada não pode ser precipitada. “Existe todo um cronograma, que é elaborado com muita cautela. Como as aulas permanecem suspensas, seria questionável o retorno prematuro dos treinos. A ideia é voltar com o menor risco possível. Num primeiro momento, regressaria apenas a equipe de competição”, diz Maciel. O projeto de extensão universitária contempla também um projeto social, que oferece atividade física para jovens da região.

O foco da equipe de competição é o Mundial de 2021, previsto para maio, em Baku, no Azerbaijão. Aquela região do Cáucaso vive um período conflagrado, mas ainda não há notícia sobre alteração do calendário.

Caso os treinos da UFLA só possam ser retomados de fato em janeiro, será montado um cronograma mais apertado. “Temos algumas rotinas montadas, elementos definidos. Caso não possamos voltar antes, vamos montar os treinamentos sem intervalos”, afirma Maciel.

As indefinições, que ainda impedem uma visão bem clara do cenário, não impedem que o treinador declare que o pior já passou. “No início foi muito difícil lidar com a parada, o isolamento. Mas as emoções, com o passar do tempo, se estabilizaram. Encontramos um ponto de equilíbrio e agora nosso esforço vai no sentido de entender tudo aquilo que temos que fazer”.

 

 

 

 

Leia também...
30.11.2020

Palestra da renomada coreógrafa Cláudia Borelli foi mediada por Kátia Lemos

30.11.2020

Membros das comissões disciplinares das duas entidades traçam planos para dar suporte às atletas da Ginástica Rítmica

28.11.2020

Ginasta brasiliense de 16 anos é convocada para passar uma semana no CT de Aracaju

27.11.2020

Estágio de treinamento vai municiar comissão técnica com indicadores e dados científicos