Apresentação de encerramento do ano emociona participantes

29.12.2020  |    224 visualizações

Atividade reuniu turmas de Ginástica Rítmica e Artística dos Centros de Excelência CAIXA - Jovem Promessa da Ginástica

Da Redação, São Paulo (SP) - O ano praticamente já terminou e as turmas que fazem atividades nos Centros de Excelência CAIXA – Jovem Promessa da Ginástica estão de férias. Mas a ginástica, para muitas dessas crianças e adolescentes, é também uma gostosa brincadeira. Por esse motivo, a pequena alagoana Maria Eduarda Mendonça de Lima, a Duda, gosta mesmo é de praticar, no quintal, os exercícios que aprendeu ao longo do ano, em treinos virtuais.

“Eu continuo a fazer os exercícios, porque gosto muito de praticar o que eu aprendo”, diz Duda, praticante de Ginástica Rítmica de 11 anos de idade.

No último dia 18, Duda e centenas de outras crianças espalhadas pelo Brasil participaram da Apresentação Virtual de Encerramento, que reuniu as turmas de GR e de Ginástica Artística dos CECs – foram registrados 564 acessos na sala em que foi realizado.

“Montamos uma coreografia bem bacana para ser executada pelas turmas de GA e de GR. A gente chegou a ficar emocionado, porque esse evento foi um arremate, o desfecho de um ano muito trabalhoso e desafiador. Mas, ao final dele, conseguimos juntar tudo o que foi construído nessa coreografia, que foi uma síntese, um resumo de toda essa jornada”, diz Juliano da Silva Fulas, profissional de Educação Física que já atuou no Centro de Excelência CAIXA de Curitiba, e que hoje trabalha no oferecimento de conteúdo online para as crianças.

Ana Paula Ferreira da Silva, que é professora de Ginástica Artística e esposa de Juliano, dá detalhes dessa jornada. “No início da pandemia, preparamos um módulo de sete aulas, para manter as crianças em atividade durante um mês. Ao final do ano, computamos mais de 80 aulas ao longo de nove meses. Começamos do zero, dando atividades bem básicas, corrigindo tudo. Com o passar do tempo, foi crescendo a complexidade, e as crianças vieram junto”.

Segundo Ana Paula, além de proporcionar atividade física para as crianças, as atividades ampliaram a gama de conhecimentos de parte dos profissionais. “Contamos com professores muito bem qualificados. Tiveram contato com alguns estagiários, ainda com pouca vivência, que puderam aprender bastante. As aulas são todas muito bem estruturadas, com começo, meio e fim. Cada professor terminou o ano com um plano de aulas e capacidade de montar cursos similares. Isso significa um efeito multiplicador para a Ginástica do Brasil”.

Segundo Henrique Motta, Coordenador Geral da CBG, a longa caminhada dos Centros de Excelência CAIXA é uma trajetória que enche de orgulho a Confederação.

“Graças a tantos esforços conjugados, o trabalho não parou. Mesmo com os desafios enfrentados com pandemia, continuamos realizando treinamentos que visam principalmente a inclusão social de jovens por meio da prática da ginástica. Foram mais de 150 horas de atividades gímnicas supervisionadas por treinadores gabaritados que contribuíram para a formação de profissionais e alunos participantes dos CECs. Foi emocionante acompanhar a evolução e envolvimento no trabalho desenvolvido entre a CBG e ginastas, monitores, professores e coordenadores dos Centros! Sem dúvidas, vamos levar muitas conquistas e conhecimentos para o trabalho do próximo ano.”.

 

Leia também...
08.05.2021

Depois de brilhar nas cinco bolas, Brasil faz ótima apresentação também na prova de três arcos e dois pares de maças

07.05.2021

Brasil alcança 38.550, melhor resultado já alcançado por um conjunto das Américas neste ciclo olímpico

07.05.2021

Pela primeira vez neste ano, País terá representantes nas disputas individuais e também na de conjuntos

04.05.2021

Fernanda Bini, diretora técnica da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, diz que entidade se destaca como uma das confederações que atuam em defesa do Jogo Limpo