Ana Luísa Passos estreia em Copa do Mundo na etapa de Baku

22.04.2022  |    397 visualizações

Neste sábado, jovem brasileira fecha participação na fase classificatória, competindo nas maças e na fita

Da Redação (SP) - Talento em ascensão da Ginástica Rítmica do Brasil, a brasiliense Ana Luísa Passos estreou nesta sexta-feira numa etapa de Copa do Mundo de Ginástica Rítmica. A ginasta do clube Cassab ficou na 33ª posição na bola, com a nota 23.800, e em 41º lugar no arco (20.650), no primeiro dia de disputas da etapa de Baku, no Azerbaijão. Neste sábado, a brasileira vai competir nos aparelhos maças e fita.

Na avaliação da treinadora de Ana Luísa, Kely Espínola, a vivência em competições dessa natureza é fundamental para o amadurecimento da atleta. “A ginasta só ganha experiência competindo, pisando no tapete. Por esse motivo, não poderíamos deixar passar esta chance de crescimento da Ana, uma excelente oportunidade para o desenvolvimento dela visando às competições-alvo”.

Recentemente, Ana Luísa completou 18 anos, e tem grandes perspectivas no ciclo olímpico que se estende até os Jogos Olímpicos de Paris-2024. “Ana vai buscar seu crescimento no ciclo, competindo e ganhando experiência. Ela ainda tem muito o que amadurecer, mas isso não é impedimento para ela buscar a tão sonhada vaga olímpica”.

Na preparação para Baku, a jovem brasiliense cumpriu rotinas de treinamento com 32 horas semanais, trabalhando na construção de suas quatro séries, que foram concebidas tendo como base o novo código de pontuação, que mudou radicalmente em comparação com o do ciclo anterior.

“O código passou de um extremo ao outro. Antes, eram mais valorizadas as dificuldades no manejo dos aparelhos. Agora se exigem mais dificuldades corporais e a parte artística”, diz Kely.

As séries foram preparadas no final do ano passado, no Centro de Treinamento Nacional de Ginástica Rítmica, em Aracaju.

“Fiquei bem empolgada por ter essa oportunidade de representar nosso País numa etapa de Copa do Mundo. Os desafios são grandes, porque temos agora um código de pontuação totalmente diferente do anterior. É por isso que treinamos firme, fazendo todos os ajustes necessários”, disse Ana, antes do embarque para o Azerbaijão.

Enquanto se esforçam na tentativa de obter a melhor adaptação possível ao novo código, Ana Luísa e Kely vão ganhando mais confiança para uma competição-chave neste ano, o Campeonato Pan-Americano do Rio de Janeiro, programado para 5 a 10 de julho.

A longo prazo, Kely acredita que as mudanças no código tenderão a favorecer sua pupila. “A Ana Luísa tem uma qualidade técnica corporal muito relevante. É uma atleta muito bem equipada para fazer frente às exigências do novo código. Trata-se de uma ginasta que chamamos, no nosso jargão, de “ampla”: apresenta linhas corporais muito limpas, definidas. É bastante flexível”.

Quanto ao aspecto artístico, a treinadora aposta que será desenvolvido com o passar do tempo. “Essa é uma qualidade que se associa com a maturidade, e a Ana Luísa vem evoluindo rapidamente. O Léo (o árbitro internacional Leonardo Palitot) observou alguns treinamentos dela e diz que ela já alcançou um progresso significativo: está mais expressiva, mais ondulada”.

Algumas das qualidades de Ana Luísa chamaram a atenção de ninguém menos do que Margarita Mamun, campeã olímpica individual nos Jogos do Rio. A russa observou a brasiliense no Mundial Juvenil de 2019, disputado em Moscou, e elogiou suas características físicas e a limpeza de seus movimentos.

 

 

Leia também...
14.08.2022

Competição exibe talentos lapidados na base da modalidade

14.08.2022

Rebeca competiu nos quatro aparelhos pela primeira vez desde os Jogos Olímpicos; no masculino, Caio Souza conquista quatro medalhas de ouro

11.08.2022

Rebeca Andrade voltou a apresentar sua série de solo, ao som de "Baile de Favela"

10.08.2022

Rebeca Andrade, Arthur Zanetti e Arthur Nory estarão em ação na Arena de Esportes da Bahia, em Lauro de Freitas