Segunda etapa da Missão Europa contempla a Ginástica de Trampolim

16.11.2020  |    128 visualizações

Ginastas se empolgam com a oportunidade de treinar juntos e fortalecer o espírito de equipe

Da Redação, São Paulo (SP) - A primeira etapa da Missão Europa foi um sucesso. Por esse motivo, a segunda está sendo realizada agora. Nesta segunda-feira, a Seleção Brasileira de Ginástica de Trampolim deu início aos treinos no mesmo CT do Time Brasil utilizado em julho e agosto pelas seleções de Ginástica Artística e Ginástica Rítmica, localizado em Sangalhos, na região central de Portugal.

Brasileira mais bem posicionada na corrida pela vaga olímpica, Camilla Gomes avalia que a iniciativa de montar esse camp de treinamento, que coube à Confederação Brasileira de Ginástica e ao Comitê Olímpico do Brasil, veio em boa hora. Camilla treina em Middleton, em Nova Jersey, mas a nova onda de casos de covid-19 nos Estados Unidos torna incerta a continuidade dos treinamentos por lá. “A situação está relativamente tranquila aqui até o momento, mas o número de casos está começando a subir novamente e não sei como estará daqui a algumas semanas. Caso entremos em lockdown de novo não sei como vai ficar”, diz a ginasta, que em abril vai tentar carimbar seu passaporte olímpico na etapa de Brescia da Copa do Mundo.

Camilla festeja a oportunidade de fazer parte de um período de treinos da Seleção Brasileira. “Essa possibilidade nos motiva mais. Um puxa o outro para dar o seu melhor. Aqui não tenho outra menina do meu nível para trabalhar junto. É por isso que acho super-importante (a Missão Europa)”.

Tatiana Figueiredo, que orienta Camilla na disputa de competições nacionais, quando a ginasta representa o Núcleo de Ginástica Tatiana Figueiredo, e também nas oportunidades em que ela defende a Seleção Brasileira, também está empolgada com esse período de trabalho no outro lado do Atlântico. “Esse suporte da CBG e do COB nos motiva bastante. É uma oportunidade muito boa para reunirmos treinadores e atletas, traçarmos objetivos. A Camilla e a Alice Gomes, que disputam o sincronizado, nunca têm a chance de treinarem juntas. Desta vez terão”.

Alice destaca a importância da viagem para aumentar o grau de coesão do grupo. “Isso é muito bom para fortalecer nosso espírito de equipe”, diz a ginasta, que também aposta em suas chances de obter classificação olímpica.

No último Mundial, disputado em novembro de 2019, em Tóquio, o ToF de Alice foi o mais alto na categoria feminina. O ToF (time offlight, ou tempo de voo), é obtido com o auxílio de uma câmera, que computa o tempo que decorre entre os momentos em que o atleta toca o trampolim. A partir da diferença, calcula-se a altura que o ginasta atinge. “Fiz a série mais alta da competição inteira e fiquei muito feliz ao receber os elogios do David Ross”, comenta Alice, referindo-se ao treinador e fabricante de trampolins que é apontado como um dos artífices do enorme sucesso da Ginástica de Trampolim canadense no cenário internacional.

“O ToF entra na nota. Com esse tipo de resultado, a Alice passa a ser mais bem vista e chama a atenção da arbitragem”, diz Alexandro Rungue, um dos dois treinadores que irão a Portugal.

Rayan Dutra, colega de Alice no Minas Tênis Clube, avalia que o training camp será importante para que ele evolua, após a pausa forçada nos treinamentos pela pandemia. “Voltei bem focado. Diria que estou nuns 80% da minha condição física. Ainda não faço todas as minhas séries. Nas primeiras semanas, aproveitei para brincar um pouco, sem grandes responsabilidades imediatas. Foi um momento de reencontro com o aparelho”, afirma o atleta, que retomou os treinos no final de agosto. “Em Portugal vou dar continuidade ao meu trabalho de fortalecimento físico”.

“Em Sangalhos os atletas vão ficar focados totalmente nos treinos, o que será importante no nosso processo de trabalho”, acrescenta Rungue.

Uma das faces novas da delegação em Portugal será a de Lucas JunioTobias, do Instituto Trampolim, de Ouro Preto (MG). O jovem mineiro, de apenas 20 anos, já tem no currículo o ouro no Mundial de Sofia-2017 e a prata no de São Petersburgo-18 nas disputas por idades no Duplo-Mini, modalidade não olímpica. “Estou muito feliz de poder fazer parte desse grupo que vai trabalhar em Portugal. É uma oportunidade valiosa para eu poder ganhar bastante experiência”, diz Tobias, que também quer colher ganhos no seu preparo físico.

MISSÃO EUROPA – GINÁSTICA DE TRAMPOLIM

DELEGAÇÃO

Atletas

Alice Gomes

Camilla Gomes

Lucas Junio Tobias

Rayan Dutra

 Treinadores

Alexandro Rungue

Tatiana Figueiredo

Fisioterapeuta

Mariana Aquino

 

 

 

Leia também...
22.01.2021

Competição é classificatória para os Jogos Olímpicos de Tóquio

21.01.2021

Vídeo desta semana aprofunda seus conhecimentos sobre modalidade caçula da Ginástica nos Jogos Olímpicos

21.01.2021

Treino de sexta-feira será exibido ao vivo pelo YouTube

19.01.2021

Tricolor só conseguiu reeditar nível de performance apresentado contra Osasco no segundo set