Treinamento em nível olímpico também para a equipe médica

21.05.2021  |    130 visualizações

Área médica do COB e Prevent Sports realizam curso para atendimento de emergências médicas em campo

Da Redação (SP) - Treinamento exaustivo, para automatizar a prática com repetições constantes. Essas palavras, contidas em declarações dos treinadores de várias modalidades, fazem parte também da fundamentação do curso de emergências médicas em campo que a Área Médica do Comitê Olímpico do Brasil oferece, em parceria com a Prevent Sports, para a equipe de saúde do COB convocada para os Jogos Olímpicos de Tóquio. É um time de 40 profissionais, composto por médicos, fisioterapeutas, massoterapeutas, bioquímicos e preparadores físicos, que vai se reunir neste sábado (22), no teatro do Instituto Tomie Ohtake, em Pinheiros.

“Vamos rever procedimentos e treinar a padronização de atendimento. É o treinamento intenso, com muita prática e repetição, que fará a diferença no nosso atendimento. O tempo conta muito para nós”, diz Álvaro Razuk, diretor-executivo responsável pela Prevent Sports.

O curso foi organizado de forma a preparar os profissionais para atender as emergências e urgências mais frequentes nos Jogos Olímpicos, segundo levantamento realizado na literatura em esportes de alto rendimento. Os temas selecionados são: uso do desfibrilador externo automático e compressão torácica, anafilaxia, concussão, crise convulsiva, síncope, pranchamento e imobilização.

Os procotolos que envolvem os cuidados para evitar o contágio com o vírus Sars-CoV-2 também serão abordados no curso.

Razuk considera que a expertise da Prevents Sports será fundamental. “Treinar está no nosso dia a dia. Estamos constantemente reciclando e aprimorando o atendimento in situ, em hospitais, salas de emergências, empregando manequins de alta fidelidade. Testamos constantemente fluxos e identificamos perigos latentes”.

Lançada neste ano, a Prevent Sports já deu mostras de sua competência: incumbida também do socorro médico na Stock Car Pro Series, removeu um piloto acidentado no autódromo de Interlagos em tempo recorde. Em apenas 20 minutos, Gaetano Di Mauro já estava num hospital localizado a 13km do circuito.

Razuk explica que uma das chaves do sucesso é a rigorosa observância dos protocolos. “Existe uma previsão para a localização de todos os equipamentos, como colar cervical e desfibrilador, por exemplo. Tudo deve ser testado e estar à mão para que o atendimento seja preciso”.

PREVENT SPORTS - É um projeto inédito que consiste na criação de um centro de medicina desportiva de ponta, apoiado em processos de alta tecnologia. O objetivo é auxiliar atletas a terem maior rendimento e menos lesões. Os esportistas beneficiados têm acompanhamento integral em saúde. Isto é, de médicos, nutricionistas, psicólogos, além de exames periódicos. A novidade da iniciativa é que, pela primeira vez, uma empresa de saúde está patrocinando equipes desportivas sem a injeção direta de recursos. 

No projeto, a empresa vai desenvolver protocolos de atendimento específicos para os atletas, os quais poderão ser adotados para pacientes comuns e atletas amadores que sejam beneficiários da operadora de saúde. Lançado em janeiro, o projeto já recebeu as adesões do Comitê Olímpico do Brasil, do time feminino de vôlei do São Paulo F.C./Barueri, da Confederação Brasileira de Ginástica, da Confederação Brasileira de Atletismo e do time de e-sports Black Dragons.

 

Leia também...
06.07.2021

Teste adicional, de antígeno, será realizado no dia do embarque a Tóquio

01.07.2021

Teste adicional, de antígeno, será realizado no dia do embarque a Tóquio